sábado, 2 de novembro de 2013

Vinte de Novembro - Dia Nacional da Cosciência Negra

                                                            2. (Continuação)
                         O Negro Sentir-se Feliz e Livre -Totalmente à vontade com sua cor!
·       É claro que há uma forte pressão social (cultural) contra isso, mas conscientizar-se da situação já é um início de transformação. Procure ter um senso crítico favorável ao negro (a si e a outros). Por exemplo: muitos negros postam ou repassam textos ou imagens depreciativas de negros.  O que “negros” ganham com isso? Será que já não foi depreciado o suficiente por séculos? O mesmo “negro” que ingenuamente repassa “grosserias” sobre “negros”; usa  sua “mídia” para divulgar quase tudo que pretenda ser belo e positivo com românticas” imagens de pessoas louras de olhos claros, sejam crianças ou adultos. (A supervalorização de um biótipo, sempre se contrapõe à desvalorização de outro). Muitos negros participam da mesma porque: conscientemente ou não, acreditam na superioridade do louro de olhos claros, seja em relação à beleza ou a qualquer outro atributo. Não pretende-se com este debate,  opor-se ao  biótipo louro e suas características, mas apenas tratar de uma realidade patente.) Alguns negros, por exaustiva exposição a estes padrões, tem visão negativa de si mesmo. Vale relembrar que: branco, louro, negro, oriental, etc., todos são belos, todos têm valor, todos são dignos de apreciação e respeito! Todos são de uma mesma raça; a raça humana. É interessante pensar nisto que é óbvio, cientificamente comprovado, mas pouco enfatizado.

·        Quando o negro sente-se bem consigo mesmo, tem muito mais condições de buscar  seu lugar justo na sociedade.
                             (continua na próxima publicação)
Próximo ponto: A Participação do Cidadão Branco no Dia Nacional da Consciência Negra!

Nenhum comentário:

Postar um comentário