quinta-feira, 19 de setembro de 2013

A Menina que Pensava Ser Apenas mais uma Criança na Classe

Numa Classe de Segunda Série em 1964, Escola Pública.

Duas meninas, uma negra e outra branca, se sentavam lado a lado. Compartilhavam suas curiosidades infantis, comentavam algumas particularidades, entre uma atividade e outra. Pareciam boas amigas.
 
A escola era toda murada, os portões fechados durante o período de aulas e recreio. Mas, era comum parentes de algumas crianças, durante o intervalo, levar-lhes lanche, entregando-o sobre o muro.
Certo dia, a menina negra brincava durante o “recreio” distraidamente a uns três metros do muro.  A irmã de sua colega branca (uma jovem de 17 anos aproximadamente) chegou com a merenda. Gritou pela irmãzinha para que fosse pegar o alimento. A menina foi correndo. Ao se aproximar do muro, sua irmã ordenou-lhe: Você está vendo aquela nega? Vá lá agora e dê-lhe uma surra! “Bate, bate naquela neguinha. Escola não é lugar de nego”! A menina simplesmente correu e pulou sobre a outra, as duas rolaram pelo chão. A criança negra não entendeu o que estava acontecendo, foi tudo muito rápido! Mas, por pura adrenalina, reagiu e se defendeu com bravura. Acabou, a jovem assistindo sobre o murro, sua irmã levar uma grande surra e não pode fazer nada!
  
As meninas continuaram na mesma classe, a amizade se esfriou. A garota negra por muito tempo ficava pensativa tentando entender: Por que aquilo tudo aconteceu? Como a menina, mesmo estando em uma família que, provavelmente, não gostava de negros, antes da briga tinha uma boa amizade com ela? Por que depois, não deu nenhuma explicação sobre o ocorrido?
A menina sentiu, pela primeira vez, que poderia ter problemas não por algo que tivesse feito, mas apenas por sua cor. Ficou muito assustada porque até então; pensava ser apenas mais uma criança na classe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário