terça-feira, 16 de julho de 2013

1. CORAÇÃO DE AÇO (Uma Comovente História Verídica para Reflexão)

Na praça pública, em uma das belas e ricas cidades do interior de São Paulo; a figura que passaria totalmente despercebida,  aproximou-se do local mais arborizado.  Buscava banco à sombra para  poupar-se do sol escaldante. Era uma mulher magérrima,  parecia mal ter forças para “carregar o corpo” esquelético! Sua aparência sugeria  doença terminal. Era jovem ainda, talvez, menos de 30 anos. Segurava algumas sacolas.
Ah...! Era negra!

Discretamente, como se estivesse distraída com a paisagem,  eu  tentava analisá-la criteriosamente: Que história aquele ser humano trazia? Quem era ela? Qual seria sua doença? Teria família?

Notei uma grande úlcera aberta na parte posterior da perna esquerda, quase à altura do tornozelo.

Tentei concentrar-me em minha própria realidade… Ia dar uma palestra sobre: Educação Infantil, numa escola próxima. Queria reler rapidamente os tópicos principais.  Apreciar brevemente a beleza da praça, e o frescor à sombra das árvores.

Para minha grande surpresa; de repente, como  quem faz  exatamente o que está programado: A mulher abriu as sacolas, dando início a uma transformação! Sobrepondo, meticulosamente,  novas roupas. Era tão magra que o excesso de  vestimentas não seria percebido. A nova indumentária era composta de: botas que lhe cobriram a chaga da perna, luvas, chapéu, etc. O chapéu, tipo boina,  escondera-lhe totalmente os cabelos. Por fim,  começou a  pintar-se com uma maquiagem a qual lhe dava a cor metálica do aço. Pescoço, orelhas, lábios, tudo se tornara totalmente metálica.

Era uma Estátua Viva! Daquelas que ficam imóveis em algum ponto agitado da cidade.

Para que?
Quem apreciasse sua arte, ou ficasse intrigado com a imobilidade. Ou talvez, até, se sentisse  penalizado por alguém que se expõe a tal situação, com um calor próximo aos 38 graus; depositasse-lhe algum dinheiro!

Ela terminou de preparar-se e saiu. Agora,  uma elegante estátua de  aço! Parecia alguém jovem, muito jovem! Seu tronco  mostrava-se bem liso. Aparentando estar sob aquela arte, um  saudável menino adolescente e não uma esquelética, lazarenta, mulher negra !

Fiquei meditando..., um pouco chocada e constrangida: aquela mulher era corajosa: ao invés, de ficar em casa, lamentando seu destino cruel.  Conseguiu liberar-se de tudo que a colocava  à margem! Pelo menos, por alguns momentos, era uma fascinante, reluzente, Estátua de Aço!

Posicionar-se-ia na parte mais movimentada da cidade, seria vista, seria apreciada por muitos! Intrigante para alguns!

Ela realmente tinha  um coração de aço

Nenhum comentário:

Postar um comentário