terça-feira, 13 de agosto de 2013

Alguns Negros Buscam Deliberadamente Clareamento de Suas Próximas Gerações


Tendo sido expostos desde criança a modelos de ideal de beleza nos quais o negro não se encaixa! Ele pode acabar sentindo-se mais atraído por pessoas brancas. É fácil ver que estes modelos deturpados de beleza não são apresentados às pessoas esporadicamente. Mas sim, indivíduos são bombardeados por tais modelos da seguinte maneira:  Em quase qualquer lugar. Durante todos os dias, todas as semanas, todos os meses, todos os anos. Na infância, na adolescência, juventude e idade adulta. Será que alguém tenha dúvida de que a constância seja um instrumento de convencimento MUITO PODEROSO? É como uma lavagem cerebral.
Claro que tal situação traz consequências como:
·        Há  alguns jovens negros para os quais mulheres negras são muito bem vindas como: mamãe, titia, vovó, irmã, prima. Mas, jamais, como possibilidade romântica!
·        Uma pessoa negra disse ficar constrangida ao perceber que alguém (negro) esteja lhe “paquerando”.
·        Certa senhora negra contara abertamente aos seus parentes que escolheu “a dedo” o pai de seus filhos para que eles não “nascessem negrinhos”! Esses filhos que hoje são adultos se afastaram totalmente do restante da família. (Podem-se imaginar todas as circunstâncias que levaram esta mulher a ter tal atitude: Humilhação, discriminação, pouca escolaridade, subemprego, morar nas piores áreas da cidade, etc. Sob seu ponto de vista, a decisão foi um ato de misericórdia).
É complicado, não é? Mas real!”        
Observação:
Não significa serem negativos relacionamentos entre negros e brancos. A raça humana é biologicamente uma única raça. Relacionamentos podem ser saudáveis e belos, independentemente de cor. Mas, é possível que a cultura racista, na qual o negro não se encaixa nos padrões de beleza, e outras desvantagens a ele impostas; possam afetar a visão de si mesmo e suas escolhas de relacionamentos. Porém, não se pode jamais, atribuir de maneira particular tais fatores à escolha de alguém, por se tratar de algo de foro íntimo e sujeito a muitas outras circunstâncias. Por outro lado, não é construtivo, por melindres, deixar de refletir sobre este aspecto influenciador nas escolhas, principalmente por ser injusto e falso. Cada indivíduo tem direito à suas próprias escolhas e não necessita de “influências”, desde o seu nascimento, para estabelecer seus padrões! Principalmente quando tais influências desvalorizam a si próprio.
Conclusão:
Como quase tudo que envolve “a discriminação” do negro no Brasil, este ponto também é extremamente “subjetivo” e impossível de ser “apontado” algum caso em particular.  Mas pode-se observar de maneira geral: Quantos negros brasileiros, ricos e famosos, são casados com pessoas que sejam também negras?

Nenhum comentário:

Postar um comentário