quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Muitos Brancos Se Constrangem com o Tema Racismo e O Evitam

(continuação)
B) Da Parte do Branco

Quando este equilíbrio social (negro no seu lugar, mulato no seu lugar, branco no seu lugar) ameaça a romper-se; gera insegurança a todos, mas, principalmente, à parte favorecida pelo que está estabelecido.

Situação Modelo
O patrão diz ter sempre “brincado” alegremente com os “negrinhos” de sua empresa. O pai brincava, o avô brincava. (E agora, surgiram leis pretendendo estabelecer  limites às ‘brincadeiras inocentes’.


Como fica?  Gera  insegurança?
 Patrão - “Mas como vou chegar pela manhã à empresa; sem fazer uma ‘brincadeirinha inocente’ com aquele neguinho carregador ou faxineiro? Só para quebrar o gelo! Eu não sou bom para ele? Tenho lhe dado um emprego. Trato ele muito bem!”

Exemplos de constrangimentos ou desconfortos causados por algum negro não se encontrar na situação esperada:

1.   Uma senhora negra, em um salão de beleza, foi acusada de complexada por sua cor, apenas por ter mencionado  querer um esmalte que combinasse com seu tom de pele. (Desejar algo que combinasse com sua cor causou incômodo. Geralmente, a tendência é - imediatamente- jogar a culpa para a pessoa negra: Você tem complexo por sua cor. É uma maneira de tentar silenciá-la.)

2.   Um casal negro passava (de carro) por uma famosa avenida, numa importante cidade do interior. No mesmo momento, um grupo de calouros de certa Universidade Pública pedia dinheiro aos motoristas; como parte do trote que os veteranos lhes aplicavam. Alguns calouros quando, de repente, se viram pedindo dinheiro a negros, começaram a insultá-los, chamando-os de macacos, etc. (Obs.: Dentre os calouros não tinha nenhum negro ou nem mesmo com aparência de miscigenação. Neste caso pode-se concluir que não havia expectativa do surgimento de negros naquele ambiente, pelo menos por  parte de alguns, o que lhes causou choque).

3.   Uma senhora negra, ao passar pelas ruas em seu carro popular, provocava curiosidade, por não ser uma cena comum. Com o tempo percebeu, com surpresa, que alguns gritavam insultos. Coisas do tipo: “Olha uma macaca dirigindo.” “Não sabia que faxina dava tanto dinheiro!” “Ô, negona!” 

A T E N Ç Ã O

Há nobres exceções de pessoas que respeitam a qualquer um e as tratam com dignidade.

Às vezes, a pessoa em posição humilhante não é negra. Discriminação pode ser por: regionalismo, nacionalidade, deficiência, classe social, idade, etc. Mas, a cor sempre será um agravante significativo!

O importante é partir do princípio de que todas as PESSOAS devem ser respeitadas. (Há algumas poucas pessoas de caráter tão nobre que tratam com a mesma delicadeza e respeito a qualquer um, seja quem for). São pessoas belas, verdadeiramente belas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário